Ubá: Informativo Epidemiológico
05/07/2019 08:21 em UBÁ EM PALTA

Informativo Epidemiológico de enfrentamento ao Aedes - 16/2019

Por Assessoria de Comunicação da PMU - Publicado em 02/07/2019 14:17

A imagem da capa capa do site Multisom foi retirada de arquivos da internet/Google

 

A Prefeitura de Ubá, através da Secretaria Municipal da Saúde, com o objetivo de informar a toda população os dados atualizados em relação à situação epidemiológica do Município, divulga o Informativo Epidemiológico, na edição 16/2019, com os números relativos às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

A Vigilância Epidemiológica informa que até o momento, foram constatadas 657 notificações de casos prováveis de arboviroses sendo 575 de Dengue, 54 de Chikungunya e 28 casos de Zíka Vírus. Foram confirmados com exames laboratoriais 227 casos de Dengue e 5 de Chikungunya. Alguns se encontram aguardando retorno de exames laboratoriais e outros já foram descartados.

Destaca-se que os exames são realizados em laboratório de referência, na Fundação Ezequiel Dias - FUNED, em Belo Horizonte, conforme preconizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG). Assim, o tempo de resposta das amostras encaminhadas para análise varia de acordo com a demanda da instituição.

Com a finalidade de auxiliar os profissionais da Saúde na realização das Notificações dos casos suspeitos de Dengue, Zika Vírus e Chikungunya, foram disponibilizadas as fichas de notificações e protocolos de atendimento para melhor condução dos trabalhos. 

A Seção de Controle de Zoonoses informa que na semana do dia 17 a 19 de junho, foram trabalhados os bairros: Meu Sonho, Ponte Preta, Eldorado, Sta. Clara, Jardim Glória, Itatiaia, Cibraci, Centro, Barrinha.Foram visitados 2.330 imóveis e 206 focos foram encontrados.

LIRAa

O primeiro LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti), do ano de 2019, realizado em Ubá de 7 a 11 de Janeiro, apontou 7,4%. O número é considerado indicador de “Alto Risco” de surto das doenças causadas pelo mosquito.

Através deste levantamento, foi constatado que mais de 80% dos focos estão dentro dos imóveis, podendo facilmente ser evitados ou eliminados pelo próprio responsável. Os principais foram os reservatórios e caixas d’água que representaram 29.6% deles. Já os depósitos móveis (vasos de plantas, bebedouros de animais ou vasilhas) representaram 25,4%, depósitos fixos como sanitários e ralos foram 19,7%. O lixo descartado de maneira incorreta representou 18,5%, pneus 6,3% e bromélias 0,5%.

Ações de Combate ao Aedes

A Secretaria Municipal de Saúde destaca que realizou a contratação de novos Agentes de Combate às Endemias e as ações educativas e de mobilização da população foram intensificadas, incluindo uma Gincana Ambiental desempenhada em parceria com as Escolas das redes Municipal e Estadual, que recolheu mais de 49 toneladas de materiais que poderiam acumular água.

Para melhoria do serviço prestado, teve início no sábado, 26 de janeiro, um Mutirão de Limpeza com o fito de recolher nas comunidades materiais que possam se tornar criadouros do Aedes. Os locais com maior número de casos notificados serão priorizados. A ação acontece em parceria com a RECICLAU, ADUBAR e com as Secretarias: Secretaria Municipal do Ambiente e Mobilidade Urbana e Secretaria Municipal de Obras.

Dicas de Prevenção

Segue o alerta à população quanto à necessidade dos cuidados que evitam a proliferação do Aedes, como:

- Mantenha limpas e vedadas adequadamente as caixas de água e os demais reservatórios de água;

- A água sanitária também poder ser utilizada para eliminar as larvas do mosquito Aedes aegypti, na proporção de 2 ml de água sanitária por litro de água. Mas é importante lembrar que ela NÃO PODE ser utilizada em água para consumo humano e de animais. Assim, tambores de armazenamento (100 litros) de água não utilizada para consumo deve adicionar 1 copo americano (200 ml) de água sanitária. O tratamento deve ser repetido semanalmente, de preferência em dia fixo, de modo a garantir que a solução continue efetiva;

- Lave e escove as partes internas dos vasos sanitários em desuso e vede corretamente os ralos, fazendo uso de água sanitária e sabão em pó semanalmente nesses locais;

- Mantenha a casa limpa e sem água parada para evitar os possíveis criadouros: nada de manter pratinhos de plantas com água, garrafas pet ou qualquer objeto que facilite o acúmulo de água. Verifique as bandejas na parte de trás dos refrigeradores;

- Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água nas mesmas;

- Mantenha limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos. A água deve ser trocada diariamente;

- Mantenha piscinas devidamente tratadas;

- Dê um cuidado especial ao armazenamento e destinação do lixo. Jamais descarte qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos.

Essas ações são primordiais para se combater o vetor transmissor de doenças que matam. Para enfrentar o Aedes é preciso a união de toda sociedade. Realizar a vistoria nos domicílios e locais de trabalho é de extrema importância.

O trabalho de conscientização continua sendo realizado pelos Agentes Comunitários de Saúde em conjunto com os Agentes de Combate às Endemias. É importante reforçar que a população receba bem os Agentes e siga as orientações dadas por eles.

H1N1

Foram notificados 7 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, sendo um caso de Influenza A - H1N1 positivo até o momento, em acompanhamento.

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE