PM fecha posto onde caminhoneiros vendiam combustível dos tanques na BR-040
12/04/2019 16:06 em Policiais

 

Três pessoas foram presas. Produto era revendido para outros caminhoneiros e até misturado com combustível para aviação. Policia apreendeu também armas, drogas, dinheiro e diversos materiais de origem duvidosa

 

Cristiane Silva/Site Estado de Minas

Postado em 12/04/2019 12:51 / Atualizado em 12/04/2019 12:58

A imagem da capa do site Multisom foi retirada de arquivos da internet/Google

 

Combustíveis estavam em tanques armazenados em área nos fundos do imóvel onde funcionava um bar

(foto: Polícia Militar/Divulgação)

 

Denúncias encaminhadas à 14ª Região da Polícia Militar (PM) resultaram na descoberta de um ponto ilegal de venda de combustíveis às margens da BR-040 em Felixlândia, na Região Central de Minas Gerais. Segundo os policiais apuraram no local, os próprios caminhoneiros vendiam combustível direto dos tanques e a mercadoria era revendida. Eles apreenderam diversos produtos, armas e até combustível para aeronaves. Três pessoas foram presas e outras duas conseguiram fugir. 

 

“Às margens da BR-040, precisamente no km 373, eles têm um bar e nesse comércio há uma borracharia. O posto de combustível clandestino funciona nos fundos, a uns 300, 400 metros da rodovia. Para ter acesso, eles passam pela borracharia. Eles abrem o portão que fica nos fundos e os caminhoneiros entram por lá”, explicou o aspirante Thiago Mendes Menezes, do 42º Batalhão da PM. 

 

Eles chegaram ao local por volta das 16h de quinta-feira. Segundo o policial, havia cinco pessoas no local no momento da abordagem. Duas, entre elas o dono do bar, fugiram correndo. Uma mulher e dois homens foram detidos. 

 

 

Até combustível próprio para aeronaves foi recolhido

(foto: Polícia Militar/Divulgação)

 

“O que tomamos conhecimento lá é que os próprios caminhoneiros que fazem transporte para empresas privadas passam por lá e vendem o combustível mais barato. Eles retiram o combustível que a empresa paga, vendem mais barato e embolsam esse dinheiro”, disse o aspirante Thiago. O combustível é retirado direto dos tanques dos veículos e é vendido por R$ 2,80 o litro. Quando os policiais chegaram ao local, flagraram alguns caminhoneiros que pretendiam comprar o combustível e confirmaram este valor. Segundo o militar, como eles não chegaram a abastecer os veículos, foram arrolados como testemunhas na ocorrência. 

 

A PM apreendeu 4,7 mil litros de diesel, armazenados em tanques, e 1.775 litros de querojato, combustível usado em aeronaves. “Ele estava sendo diluído no diesel e proporciona maior combustão”, informou o aspirante da PM. 

 

Também chamou a atenção da polícia a grande quantidade de produtos diversos encontrada no local. Vão desde panelas a lâmpadas, ferramentas, eletroeletrônicos e fardas. “Não sabemos se eles estavam assaltando os caminhoneiros na rodovia, mas há  muitos produtos de origem dos Correios, como notebooks, perfumes, relógios, caixas de livros, roupas, muitos tênis, fardamento de órgãos públicos, como do Exército, uma que aparentemente é usada pela Polícia Federal”, listou. 

 

(foto: Polícia Militar/Divulgação)

 

Também foram apreendidas três armas de fogo, sendo dois revólveres calibre 38 (um com numeração raspada), uma espingarda calibre 12, maconha, cocaína e R$ 57 mil em dinheiro. 

 

No momento da abordagem ainda não havia informações sobre o tempo em que eles estavam agindo na rodovia. Conforme o aspirante Thiago, um dos homens detidos, que seria filho do proprietário, disse que trabalhava no local há quatro meses. A ocorrência só foi encerrada às 7h. A mercadoria apreendida foi transportada em um caminhão cedido pela prefeitura de Felixlândia. Os presos e a carga foram levados à Delegacia de Polícia Civil de Curvelo. 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE